Top

Sempre senti que havia algo maior em que confiar e hoje estou plenamente ciente disso e esse é o maior presente para mim.

 

A minha experiência com o Ensino da Energia Universal começou em 2000; participei nos primeiros seminários a tentar aprofundar as técnicas de transferência de energia e meditação, etc…

Tenho feito o meu caminho como estudante a tentar pôr em prática tudo o que me ensinaram, mas sem realmente sentir um impulso no meu estilo de vida e estado de ser.

Estes passos, de qualquer forma, ajudaram-me a compreender os muitos erros que cometi no passado, e até me ajudaram a compreender o sentido da vida e a melhorar de forma constante.

Comecei no novo nível 1 com uma bagagem de experiências e erros que eu tenho progressivamente vindo a resolver à medida que os novos níveis têm vindo a ocorrer.

Sendo uma pessoa muito prática, percebi imediatamente que os novos seminários eram cada vez mais essenciais e mais rápidos do que no passado, o que fez aumentar a minha curiosidade; cada tópico centrava-se no alvo e as coisas têm-se tornado cada vez mais claras e simples.

Senti que estava na altura de me concentrar, e assim tem sido… podia praticar sem esforço, e tudo era natural e suave; eu conseguia perceber melhor as pessoas e as situações à minha volta, com uma forte sensação de estar mais centrado.

Todas as manhãs praticava exercícios de respiração, criava o meu próprio espaço, começava a ser disciplinado com o despertador, acordando sempre à mesma hora, 5,50h da manhã; lentamente a disciplina espalhou-se a todas as pequenas coisas da vida que eram tão importantes para mim e deixaram de ser.

Tudo se tornou mais ritual; mesmo aquelas pequenas coisas de que precisamos para começar o dia: tempo para me lavar e me arranjar, um pequeno-almoço muito rico e abundante, admirando a forma dos frutos, os raios solares na minha mesa, sem mais tecnologia, mais tempo para apreciar tudo o que como, enchendo-me de positividade.

E quando o resto da família acorda, eu já estou pronto para os receber com um agradável Bom Dia; e comecei a reparar como a situação tem mudado para eles também, uma vez que todos acordam mais felizes e prontos para começar o dia.

Nesta altura, praticando os exercícios respiratórios dos primeiros níveis, comecei a observar-me de fora, a perceber os meus defeitos, sobretudo a forma como comunicava com as outras pessoas.

Frequentei os novos níveis em que aprendemos os 3 Zeros e então compreendi quantos erros podemos cometer ao comunicar com as pessoas, levados pelo nosso estilo de vida diário.

Comecei a ser mais disciplinado, e tornou-se mais fácil pôr os 3 Zeros em prática.

Comecei a ouvir as pessoas e aprendi que antes não estava verdadeiramente a ouvi-las; ao ouvir os outros apercebi-me cada vez mais dos meus erros e corrigi-os. Agora, quando enfrento pessoas que estão a fazer mal (sem qualquer julgamento) encontro uma forma de comunicar com elas. Através de uma simples palavra e certa ou mesmo ficando em silêncio.

Apercebi-me que as pessoas me ouvem e, em muitos casos, a nossa relação melhorou visivelmente. Comecei a ficar cada vez mais consciente do potencial da Energia Universal.

Continuei a frequentar níveis mais elevados e tenho praticando o yoga da purificação e, no nível 15, o yoga da expansão do campo magnético; desde então tenho praticado alternadamente o yoga da purificação e o magnético, e após 4 meses apercebi-me de muitas transformações.

Mesmo sem treino desportivo sério, percebi que os meus níveis cardiorrespiratórios melhoraram juntamente com a minha flexibilidade e desempenho.

Agora não posso deixar de fazer os meus exercícios matinais, que influenciam de forma muito positiva o meu dia-a-dia e me levam a ter um maior foco e consciência em relação aos ensinamentos da Huesa; Evito todo o tipo de situações que me afastam do meu bem-estar e vou dormir feliz sabendo que o meu despertar será lindo em cada dia e em todos os dias da semana.

Resumidamente, no que me diz respeito, adoro desporto, natureza e coisas simples da vida; sempre segui o meu coração, a minha coragem antes da inteligência, e não usei máscaras nem formas de pensar orientadas para o lucro; tal comportamento pode ser perigoso nas sociedades ocidentais e, na verdade, as minhas experiências não foram fáceis. Mesmo que isso me tornasse vulnerável, sempre senti que havia algo maior em que confiar.

Com amor e gratidão,

Paolo Nelzi

Estudante de nível 15 HUESA (ITÁLIA)

Share