Top

Descubrindo a Unidade

 

Bem-vindos à nossa Meditação Global Diária. Hoje estamos conectados convosco a partir de Petchaburi, no Sul da Tailândia. E hoje, a nossa equipa de trabalho da Shamballa da HUESA está de visita a esta Caverna. Aqui, à vossa frente, podem ver a Estátua do Buda Reclinado, um símbolo de paz, de compaixão. E em toda a parte, nesta Caverna, há muitas estátuas: estátuas de Buda, estátuas de Divindades, estátuas de muitas entidades físicas que viveram aqui antes.

Hoje, então, enviamos-vos a nossa compaixão, a nossa harmonia, a partir desta parte do mundo. Nós estamos aqui desde há já um mês e meio para construir a Shamballa como o lugar que nos deu a motivação, a intenção de criarmos uma comunidade juntos; viver juntos, trabalhar juntos, respirar o mesmo ar. De manhã acordamos cedo, escutamos o canto dos pássaros, vemos o nascer do sol, meditamos juntos. Este é o começo das Aldeias da Energia Universal que o Mestre, o nosso querido professor, o nosso querido Mestre, o fundador desta Escola da Energia Universal, desejava ter.

Nós agora estamos a levar a cabo essa jornada, e é uma sincronicidade o facto de hoje termos vindo aqui, num Domingo, durante a Meditação Global Diária, para podermos conectar-nos convosco. No local onde a Shamballa está construída ainda não temos internet, nem sinal de telemóvel e, no entanto, vivemos; vivemos plenamente, totalmente, com a Natureza.

O trabalho lá fora é duro; todos os dias, durante as horas de sol, é muito calor. O tempo em que temos que estar no exterior a trabalhar é mesmo muito quente, e por isso temos que encontrar outros sítios aqui ao redor para assim nos podermos acostumar ao clima daqui. Caso contrário, simplesmente desfrutamos e vivemos juntos, como uma verdadeira família, com amor, com partilha, com harmonia, e ajudando-nos uns aos outros a transformar-nos gradualmente, passo-a-passo.

Então, a partir desta Caverna, a Caverna de Khao Luang, na Província de Petchaburi, onde se situa a nossa Shamballa da HUESA, enviamos a todos as nossas saudações, o nosso amor, para ficarmos juntos… nós estamos sempre juntos. Em cada respiração que fazemos, se soubermos que somos Unos com o Universo, nós somos vocês e vocês são nós. É assim que estamos conectados, a cada respiração que fazemos – respirando o mesmo ar que Buda outrora respirou; respirando o mesmo ar que outrora Jesus Cristo respirou.

Vamos, então, ficar juntos nessa Unidade, para podermos criar a Shamballa dentro de cada um de nós antes de ela se poder manifestar na verdadeira Shamballa exterior, neste mundo físico. Então, a partir da Shamballa da HUESA, na Tailândia, despedimos-vos de vocês.

Share